sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

Censo Invernal de Guinchos



O dia 14 de Janeiro foi marcado pela mobilização de observadores de aves que varreram o país de alto a baixo para contar as águias-pesqueiras (Pandion haliaetus) que invernam em Portugal. Na verdade tratou-se de um esforço ibérico pois o país vizinho também realizou um censo desta espécie na mesma data. Mas de momento ainda não se conhecem os resultados.

Na tabela seguinte estão os resultados finais por distrito dos três censos realizados em Portugal.




Para consulta detalhada dos resultados da contagem efectuada em 14 de Janeiro de 2017, consulte a seguinte tabela.

Participaram nesta iniciativa 141 voluntários, menos dois em relação ao ano anterior (143 em 2016).

A organização disponibiliza ainda um mapa nacional para consulta dos locais visitados e respectivos totais de indivíduos contados. As diferentes cores significam:
  • branco: 0 indivíduos contados;
  • verde: 1 indivíduo contado;
  • amarelo: 2 - 5 indivíduos contados;
  • vermelho: mais de 5 indivíduos contados.

terça-feira, 3 de janeiro de 2017

Censo Invernal de Milhafre-real

O milhafre-real é uma espécie com uma população residente em Portugal considerada Criticamente em Perigo (ver www.icnf.pt) e que a nível global tem um estatudo de Quase Ameaçada  (ver http://www.iucnredlist.org/details/22695072/0).



Em Portugal é mais frequente observar esta espécie durante o inverno. No mapa seguinte pode ver-se a distribuição da espécie na península ibérica ao longo dos vários meses do ano.

Fonte: Mapas extraídos do eBird, dia 3/01/2016

No Inverno de 2014/15 seis entidades uniram-se e organizaram um censo global em Portugal

Estas foram as entidades que organizaram o censo:

SPEA – Sociedade Portuguesa para o Estudo das Aves;
LPN – Liga para a Protecção da Natureza;
ATN – Associação Transumância e Natureza;
Palombar – Associação de Conservação da Natureza e do Património Rural;
CEAI – Centro de Estudos da Avifauna Ibérica;
ICNF – Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas.

A metodologia utilizada neste censo basea-se na contagem dos dormitórios em simultâneo, dentro de um período de nove dias no mês de Janeiro.

Alguns dados retirados dos trabalhos realizados no Inverno de 2014/15 (entre 17 a 25 de Janeiro de 2015).

Participaram 22 observadores voluntários

Foram prospectados 53 dormitórios e outras concentrações de milhafre-real, distribuídos por todo o território Continental, sendo que 28 dormitórios conhecidos de anos anteriores não estavam activos.
Alentejo Interior (51 dormitórios conhecidos)
  • concelho de Évora, com 628 indivíduos
  • concelho de Castro Verde, com 360 aves,
  • concelho de Serpa, com 234
Interior das regiões Centro e Norte (2 dormitórios conhecidos)

Foram contabilizados um mínimo de 1465 e um máximo de 1603 milhafres-reais.

Um dos dormitórios albergava mais de 200 aves.

Consulte  aqui o relatório Censode milhafre-real invernanteem Janeiro de 2015.